• A ANESA tem como objectivos congregar, dinamizar, defender e representar as empresas do sector da Higiene e Segurança Alimentar, assim como participar, colaborar e contribuir para a regularização e coordenação da sua actividade.
 
 
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
 
 
INÍCIO
IDENTIFICAÇÃO
ESTATUTOS
CÓDIGO DEONTOLÓGICO
ASSOCIADOS
ORGÃOS SOCIAIS
INSCRIÇÃO
ACESSO RESERVADO
 
 
 
PESQUISA
TRADUÇÃO AUTOMÁTICA
PUBLICIDADE
Boa tarde,   Um café fez um contrato com uma empresa prestadora de serviços, para dois anos. ...
A FNACC (Federação Nacional das Associações de Comerciantes de Carnes) divulgou o conteúdo prog...
PUBLICIDADE
Para assinalar o Dia Mundial da Alimentação, a Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) vai organizar o Workshop «Do Prado ao Prato - 100 Mitos : À Mesa», no dia 16 de Outubro, no Auditório dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa, sito na Avenida Afonso Costa, nº 41. As inscrições, embora gratuitas, são obrigatórias e devem ser remetidas até ao dia 11 de Outubro.
PARCEIROS/PARCERIAS
LIGAÇÕES ÚTEIS
LICENCIAMENTO ZERO
BASE - Contratos Públicos
Portal da Empresa
DGAE
Portal do Consumidor
Autoridade da Concorrência
Autoridade do Trabalho
Ministério do Trabalho
Boletim do Trabalho
GEP
Ministério das Finanças
Ministério da Agricultura
DG VETERINARIA
Ministério da Economia
EFSA
ASAE
Portal do Governo
Eur Lex
Diário da República Electrónico
 

SEGURANÇA ALIMENTAR

EFSA - Painel CONTAM

Nitratos nos Vegetais

A EFSA faz o balanço entre os riscos para o consumidor dos nitratos nos vegetais e os benefícios de uma dieta equilibrada rica em vegetais e fruta

O Painel da EFSA dos Contaminantes (CONTAM) avaliou os riscos e os benefícios para os consumidores relativos aos nitratos nos vegetais e fruta e concluiu que os efeitos benéficos resultantes do consumo de vegetais e fruta superam os potenciais riscos para a saúde humana associados à exposição a nitratos através dos vegetais.

Os frutos e vegetais são componentes importantes de uma dieta equilibrada e saudável, e se forem consumidos diariamente em quantidade suficiente, podem ajudar a reduzir o risco de determinadas doenças. O Painel afirmou, que o consumidor médio consumindo cerca de 400g de mistura de vegetais e de fruta por dia[1], não ultrapassaria a Dose Diária Admissível para os nitratos (DDA)[2]. Na estimativa da exposição, o Painel assumiu que a totalidade dos 400g de fruta e vegetais ingeridos pelos consumidores poderiam potencialmente ser apenas vegetais, que são substancialmente mais ricos em nitratos que a fruta.

O Painel afirmou que uma pequena parte da população da União Europeia (2,5%), que são os grandes consumidores de vegetais de folha, poderiam exceder a DDA para o nitrato.

A EFSA foi solicitada pela Comissão Europeia para dar um parecer relativo aos riscos para os consumidores associados aos nitratos nos vegetais e para considerar o equilíbrio entre os riscos para a saúde e os benefícios de modo a proporcionar uma base científica para auxiliar os gestores de risco a definir estratégias futuras relativas aos nitratos nos vegetais.

O Painel CONTAM da EFSA foi apoiado por um grupo de trabalho de peritos que incluiu também um membro do Painel dos Produtos Dietéticos, Nutrição e Alergias da EFSA (designado por NDA).

Estudos epidemiológicos não sugerem que a ingestão de nitratos através da dieta e água para consumo esteja associado a um risco aumentado de cancro. No entanto o corpo humano transforma os nitratos em compostos, como o nitrito e o óxido nítrico que podem ter implicações possíveis para a saúde[3].

Josef Schatter, o Presidente do Painel dos Contaminantes da EFSA, comentando o parecer, explicou: “Nós avaliámos os riscos e benefícios de exposição a nitratos através dos vegetais e concluímos que os efeitos benéficos dos vegetais prevalecem.

As principais fontes de nitratos na dieta são os vegetais, as carnes curadas e a água para consumo, mas o vegetais e a fruta podem chegar a representar mais de metade, ou mesmo dois terços, do total da ingestão de nitratos. Os nitratos estão presentes na maioria dos vegetais em teores variados, mas o factor crítico para uma elevada exposição na dieta a nitratos não é a quantidade absoluta de vegetais consumidos, mas o tipo de vegetais (e.g. vegetais de folha) e as respectivas concentrações de nitratos. Vegetais de folhas verdes, como os espinafres, alface e rúcula contêm o maior teor em nitratos. Nos vegetais o conteúdo em nitratos também varia com outros factores, tais como a extensão de uso de fertilizantes azotados e a quantidade de luz solar a que os vegetais são expostos (os vegetais produzidos no norte da Europa têm tendência para conter maiores teores de nitratos).

De acordo com o parecer, não se considera provável que os vegetarianos e vegans (vegetarianos estritos), que consomem grandes quantidades de fruta e vegetais, possam exceder a DDA, uma vez que as necessidades em proteínas são normalmente supridas pelo consumo de cereais, nozes e leguminosas que têm baixo teor de nitratos.

Os vegetais como a alface e o espinafre já estão sujeitos a regulamentos da EU que estabelecem os níveis máximos de nitratos[4]. No grupo dos vegetais de folha, a rúcula tem os maiores níveis de nitratos, com base na informação reportada pelos Estados-membros. Por exemplo, os consumidores que ingerirem mais de 47 g de rúcula por dia poderão estar já a exceder a DDA, isto sem considerar qualquer outra das fontes de nitratos. A EFSA faz notar que este nível de consumo de rúcula numa base diária, não é provável que ocorra durante um período longo de tempo, pelo que considera que ultrapassar a DDA ocasionalmente não representaria uma preocupação para a saúde.

O Painel CONTAM notou que pode ocorrer um abrandamento adicional no consumo de nitratos resultante do processamento e.g. lavagem, descasque e /ou confecção, conferindo uma margem de segurança extra para os consumidores.

Parma, 6 de Junho 2008



---------------------------------------------------


[1]A dose de 400 gramas baseia-se nas recomendações da OMS para o consumo de vegetais e fruta. O Painel procedeu à avaliação do risco baseado na assumpção de que a totalidade dos 400 g eram de vegetais, como é o caso para alguns grandes consumidores em vários Estados-Membros da UE.

[2] A dose diária admissível (DDA) para os nitratos é de 3,7 mg/kg peso corporal /dia e foi estabelecida pelo Comité Científico para a Alimentação Humana (CCAH) e reconfirmado pelo Comité Conjunto de Peritos da FAO/OMS para os Aditivos Alimentares (designado por JECFA) em 2002. O Painel CONTAM notou que não existiam novos dados para alterar aquele parâmetro. A DDA é a quantidade de uma substância específica que pode ser ingerida oralmente durante toda a vida sem constituir um risco apreciável para a saúde.

[3] Os metabolitos e os produtos de reacção do nitrato, e.g. nitrito, óxido nítrico e compostos N-nitrosos podem conduzir à doença metahemoglobinémia (resultando num abastecimento de oxigénio ao sangue limitado) e têm potenciais propriedades carcinogénicas.

[4] Regulamento (CE) nº1881/2006, da Comissão, que, entre outros contaminantes nos géneros alimentícios, fixa os níveis máximos de nitratos/kg em espinafre e alface. A alguns países (Bélgica, França, Irlanda, Holanda e Reino Unido) foi concedida uma derrogação temporária destes níveis para um ou mais destes dois vegetais até Dezembro de 2008.


06-06-2008
Partilhar
Existem 0 comentários
 

EDITORIAIS

  Já se encontra homologada e publicada a NP 4511 de 2012, Norma Portuguesa com as regras específic...
0
Considerando as notícias divulgadas em meios de comunicação social, e por outras vias, relativamente...
0
A Direcção Geral da Empresa, elaborou um projecto-lei, no sentido de regular a actividade de Consult...
0
De acordo com o estipulado no n.º 1 alínea b) do Art.º 14.º dos Estatutos da ANESA – Associação Naci...
0

LEGISLAÇÃO

    A Lei 15/2018 de 27-3 estabelece que é permitida a permanência de animais de companhia em espa...
0
O DL 5/2018 de 2-2 define os critérios definidores do processo de receção e troca de garrafas utiliz...
0
  A Portaria 14/2018 de 11-1, introduz alterações na participação de acidentes de trabalho dos empr...
0
 Aprovado o Orçamento do Estado para 2018. Lei 114/2017 de 29-12.
0
  O DL 156/2017 de 28-12 fixa em 580 €, o valor da retribuição mínima mensal garantida (RMMG),...
0
O DL 152-D/2017 de 11-12 Unifica o regime da gestão de fluxos específicos de resíduos sujeitos ao pr...
0
O DL 152/2017 de 7-12 procede à segunda alteração ao DL 306/2007 de 27-8, alterado pelo DL 92/2010 d...
0
 A Lei 73/2017 de 16-8, visando o reforço da prevenção e do combate à prática de assédio, introduziu...
0

SEGURANÇA ALIMENTAR

Empresas do Sector Alimentar - OBRIGATORIEDADE DE IMPLEMENTAÇÂO DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA BASEAD...
1
Relativamente a questões colocadas sobre comercialização de moluscos bivalves:   Os moluscos bival...
0
ACÇÃO DE FORMAÇÃO FARO A ANESA promoveu a primeira acção de formação com sucesso assegurado, con...
0
HACCP em Micro/Pequenas Empresas O que a lei diz… Deve ser garantido um elevado nível de protecç...
0
 
 
 
JANELA ABERTA
FORMAÇÃO
ACTIVIDADES
APOIO JURÍDICO
CONTACTOS
NEWSLETTER
 
 
Todos os direitos reservados ANESA © 2018
Desenvolvimento: Tiago Caetano