• A ANESA tem como objectivos congregar, dinamizar, defender e representar as empresas do sector da Higiene e Segurança Alimentar, assim como participar, colaborar e contribuir para a regularização e coordenação da sua actividade.
 
 
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
 
 
INÍCIO
IDENTIFICAÇÃO
ESTATUTOS
CÓDIGO DEONTOLÓGICO
ASSOCIADOS
ORGÃOS SOCIAIS
INSCRIÇÃO
ACESSO RESERVADO
 
 
 
PESQUISA
TRADUÇÃO AUTOMÁTICA
PUBLICIDADE
Boa tarde,   Um café fez um contrato com uma empresa prestadora de serviços, para dois anos. ...
A FNACC (Federação Nacional das Associações de Comerciantes de Carnes) divulgou o conteúdo prog...
PUBLICIDADE
Para assinalar o Dia Mundial da Alimentação, a Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) vai organizar o Workshop «Do Prado ao Prato - 100 Mitos : À Mesa», no dia 16 de Outubro, no Auditório dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa, sito na Avenida Afonso Costa, nº 41. As inscrições, embora gratuitas, são obrigatórias e devem ser remetidas até ao dia 11 de Outubro.
PARCEIROS/PARCERIAS
LIGAÇÕES ÚTEIS
LICENCIAMENTO ZERO
BASE - Contratos Públicos
Portal da Empresa
DGAE
Portal do Consumidor
Autoridade da Concorrência
Autoridade do Trabalho
Ministério do Trabalho
Boletim do Trabalho
GEP
Ministério das Finanças
Ministério da Agricultura
DG VETERINARIA
Ministério da Economia
EFSA
ASAE
Portal do Governo
Eur Lex
Diário da República Electrónico
 

JANELA ABERTA

RESTAURAÇÃO

Guia para controlo da Segurança Alimentar

Autores:
Declan J. Bolton, B. Sc., Ph. D., Grad. Dip. (Business)
Bláithín Maunsell, B.Sc., Ph.D.
The Food Safety Department, Teagasc – The National Food Centre, Ashtown
Dublin15, Republic of Ireland

Tradução e Revisão:
José Amorim e Maria do Rosário Novais
Laboratório de Microbiologia dos Alimento
Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge
Lisboa, Portugal



Os estabelecimentos de restauração têm sido frequentemente associados a surtos de toxinfecções alimentares. De modo a reduzir a incidência de tais surtos, a contaminação de alimentos por perigos como a Salmonella, Campylobacter e Listeria monocytogenes,
deve ser prevenida, reduzida e/ou eliminada. Isso poderá ser atingido através da implementação de práticas de segurança alimentar eficazes. Os programas de segurança alimentar podem ser subdivididos em Pré-requisitos como a manutenção, limpeza, higiene pessoal, etc., e Análise de Perigos e Pontos de Controlo Críticos (HACCP). Em Novembro de 2003 realizou-se em Budapeste (Hungria), uma conferência internacional subordinada ao tema “Segurança Alimentar na Restauração: uma responsabilidade ignorada? “ (Catering Food Safety: A responsability Ignored? “), organizada no âmbito do projecto de acção concertada (Nº Projecto: QLK1-CT-2002-02178), da Rede de Informação de Análise de Risco da União Europeia (European Union Risk Analysis Information Network, EU-RAIN). Neste Guia iremos abordar o HACCP aplicado à restauração como foi discutido nessa conferência. Contudo, antes da implementação do HACCP, deve estar operacional um efectivo programa de Pré-requisitos, razão pela qual as exigências em pré-requisitos foram igualmente debatidas na conferência. Foram apresentados os sete princípios do HACCP e as quinze etapas que devem ser seguidas no desenvolvimento de planos HACCP, aplicados à restauração. Essas etapas incluem a formação de uma equipa HACCP, a análise do(s) produto(s) e do(s) processo(s), a identificação de perigos, a avaliação do risco e operacionalização de controlo nos pontos críticos. Para facilitar este processo são disponibilizados um fluxograma sumário, uma árvore de decisão e a estrutura de um Plano de Análise de Perigos, assim como, é explicada a sua utilização. Potenciais Pontos de Controlo Críticos (PCCs) são também abordados, incluindo limites críticos, monitorizações e acções correctivas. O documento é finalizado com uma explicação das actividades de verificação e de documentação.


A conferência internacional — Segurança Alimentar na Restauração: uma responsabilidade ignorada?“ (—Catering Food Safety:A responsability Ignored?“), realizada em Novembro de 2003 em Budapeste (Hungria), organizada no âmbito do projecto de acção concertada (Nº Projecto:QLK1-CT-2002-02178),da Rede de Informação de Análise de Risco da União Europeia (European Union Risk Analysis Information Network, EU-RAIN), juntou cientistas, chefes de cozinha, representantes dos consumidores e de agências de segurança alimentar, para discutirem o tema da segurança alimentar na restauração. (relatório da reunião disponível em http://www.eu-rain.com/publications).
Vários oradores da conferência realçaram os factores que contribuem para a ocorrência de toxinfecções alimentares ,em unidades de restauração, os quais incluem:

° Matérias-primas contaminadas
° Manipulações inadequadas que originam contaminações cruzadas
° Armazenagens em frio e arrefecimentos impróprios
° Incorrectas práticas de descongelação
° Confecções inadequadas
° Má higiene pessoal
° Pessoal manipulador infectado
° Má higiene das instalações, equipamentos e utensílios
° Panos da loiça/esponjas utilizados para diversas funções
° Alimentos preparados com muita antecedência
° Armazenagem à temperatura ambiente
° Distribuição de morada

Link de acesso ao documento em pdf:
http://www.eu-rain.com/Languagedoc/Pt%20Catering.pdf
01-03-2006
Partilhar
Existem 0 comentários
 

EDITORIAIS

  Já se encontra homologada e publicada a NP 4511 de 2012, Norma Portuguesa com as regras específic...
0
Considerando as notícias divulgadas em meios de comunicação social, e por outras vias, relativamente...
0
A Direcção Geral da Empresa, elaborou um projecto-lei, no sentido de regular a actividade de Consult...
0
De acordo com o estipulado no n.º 1 alínea b) do Art.º 14.º dos Estatutos da ANESA – Associação Naci...
0

LEGISLAÇÃO

    A Lei 15/2018 de 27-3 estabelece que é permitida a permanência de animais de companhia em espa...
0
O DL 5/2018 de 2-2 define os critérios definidores do processo de receção e troca de garrafas utiliz...
0
  A Portaria 14/2018 de 11-1, introduz alterações na participação de acidentes de trabalho dos empr...
0
 Aprovado o Orçamento do Estado para 2018. Lei 114/2017 de 29-12.
0
  O DL 156/2017 de 28-12 fixa em 580 €, o valor da retribuição mínima mensal garantida (RMMG),...
0
O DL 152-D/2017 de 11-12 Unifica o regime da gestão de fluxos específicos de resíduos sujeitos ao pr...
0
O DL 152/2017 de 7-12 procede à segunda alteração ao DL 306/2007 de 27-8, alterado pelo DL 92/2010 d...
0
 A Lei 73/2017 de 16-8, visando o reforço da prevenção e do combate à prática de assédio, introduziu...
0

SEGURANÇA ALIMENTAR

Empresas do Sector Alimentar - OBRIGATORIEDADE DE IMPLEMENTAÇÂO DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA BASEAD...
1
Relativamente a questões colocadas sobre comercialização de moluscos bivalves:   Os moluscos bival...
0
ACÇÃO DE FORMAÇÃO FARO A ANESA promoveu a primeira acção de formação com sucesso assegurado, con...
0
HACCP em Micro/Pequenas Empresas O que a lei diz… Deve ser garantido um elevado nível de protecç...
0
 
 
 
JANELA ABERTA
FORMAÇÃO
ACTIVIDADES
APOIO JURÍDICO
CONTACTOS
NEWSLETTER
 
 
Todos os direitos reservados ANESA © 2018
Desenvolvimento: Tiago Caetano