• A ANESA tem como objectivos congregar, dinamizar, defender e representar as empresas do sector da Higiene e Segurança Alimentar, assim como participar, colaborar e contribuir para a regularização e coordenação da sua actividade.
 
 
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
 
 
INÍCIO
IDENTIFICAÇÃO
ESTATUTOS
CÓDIGO DEONTOLÓGICO
ASSOCIADOS
ORGÃOS SOCIAIS
INSCRIÇÃO
ACESSO RESERVADO
 
 
 
PESQUISA
TRADUÇÃO AUTOMÁTICA
PUBLICIDADE
Boa tarde,   Um café fez um contrato com uma empresa prestadora de serviços, para dois anos. ...
A FNACC (Federação Nacional das Associações de Comerciantes de Carnes) divulgou o conteúdo prog...
PUBLICIDADE
Irá decorrer no dia 22 de junho no auditório do INIAV, na Quinta do Marquês, em Oeiras, um seminário sobre o Codex Alimentarius. A participação é grátis, requerendo, no entanto, inscrição obrigatória para o endereço codex@dgav.pt
PARCEIROS/PARCERIAS
LIGAÇÕES ÚTEIS
Livro Reclamações Electrónico
Balcão Empreendedor
BASE - Contratos Públicos
Portal da Empresa
DGAE
Portal do Consumidor
Autoridade da Concorrência
Autoridade do Trabalho
Ministério do Trabalho
Boletim do Trabalho
GEP
Ministério das Finanças
Ministério da Agricultura
DG VETERINARIA
Ministério da Economia
EFSA
ASAE
Portal do Governo
Eur Lex
Diário da República Electrónico
 

FORMAÇÃO

GOCEPI

Formação Profissional

GOCEPI
Gestão, Organização, Consultadoria, Estudos, Projectos e Inovação


Como é do vosso conhecimento, a FORMAÇÃO PROFISSIONAL é indispensável ao desenvolvimento de projectos e ao posicionamento estratégico, constituindo deste modo um factor - chave de sucesso às empresas.

De acordo com o artigo 125º do Código do Trabalho, n.º2 “A formação contínua de activos deve abranger, em cada ano, pelo menos 10% dos trabalhadores com contrato sem termo…” n.º 3 “…um número mínimo de 20 horas anuais de formação certificada..”. Segundo o n.º 4 do mesmo artigo para o ano de 2006 o número mínimo deverá ser de 35 horas de formação por cada trabalhador.

Neste sentido informamos que se encontra à disposição das empresas portuguesas APOIOS para a FORMAÇÃO PROFISSIONAL previstos no PRIME – PROGRAMA DE INCENTIVOS À MODERNIZAÇÃO DA ECONOMIA, inserido no 3º QUADRO COMUNITÁRIO DE APOIO (o subsídio a fundo perdido pode atingir 75% das despesas elegíveis na Região de Lisboa e Vale do Tejo e 80% nas restantes regiões).

Constituem despesas elegíveis as realizadas com:
- Encargos com formandos durante o período de formação;
- Encargos com formadores;
- Encargos com pessoal não docente (pessoal dirigente, técnico, administrativo e outro vinculado ou em regime de prestação de serviços, envolvido nas fases de preparação, desenvolvimento e acompanhamento da acção);
- Encargos com a preparação, desenvolvimento e acompanhamento das acções (despesas com elaboração de diagnósticos de necessidades de formação, divulgação de acção, selecção de formandos e formadores, consultas jurídicas e emolumentos notariais, peritagens técnicas e financeiras, aquisição, elaboração e reprodução de recursos didácticos, materiais pedagógicos consumíveis, bens não duradouros, aquisição de livros e de documentação, energia, água e comunicações, despesas gerais de manutenção e deslocações do grupo em formação, no âmbito da respectiva acção);
- Encargos com o aluguer e a amortização de equipamentos, a renda ou a amortização das instalações onde o projecto decorre;
- Custos de diagnóstico de necessidades e avaliação das acções e dos seus resultados globais;
- Aluguer e amortização de equipamentos, e rendas das instalações onde a formação decorre;
- Pagamento de inscrições aos formandos em acções de formação externa.

As empresas poderão deste modo candidatar-se a estes apoios através da apresentação de Candidaturas a Projectos Autónomos de Formação, adaptados às suas necessidades, quer em termos de cursos a ministrar, quer na calendarização das várias acções de acordo com a actividade da própria empresa.

Como entidade acreditada pelo IQF, a nossa actuação nas diversas áreas organizacionais, inclui a realização de Consultoria em Formação, baseando-se o nosso método na realização de:


- Planos de Formação
- Realização de diagnósticos de necessidades formativas
- Planeamento
- Organização
- Avaliação da formação
- Implementação de sistemas de avaliação da qualidade e eficácia da formação (requisito da Norma ISO)
- Acreditação de empresas como entidades formadoras (segundo os novos requisitos em vigor).

Encontramo-nos desde já ao vosso dispor para a marcação de uma reunião para em conjunto estudarmos a melhor solução para a vossa Empresa.

Os planos e/ou projectos de formação poderão incluir várias áreas temáticas como, financeira, informática, comportamental, qualidade, higiene e segurança, ambiental, entre outros que se venham a identificar através da realização do diagnóstico de necessidades de formação.

A candidaturas para Projectos Autónomos de Formação estão abertas.


GOCEPI - Gestão, Organização, Consultadoria, Estudos, Projectos e Inovação, Lda.
Rua Viriato nº 27 – 2º C 1050-234 LISBOA
Tel. 21 353 40 25
Fax: 21 316 11 98
geral@gocepi.pt
www.gocepi.pt

20-01-2006
Partilhar
Existem 0 comentários
 

EDITORIAIS

  Já se encontra homologada e publicada a NP 4511 de 2012, Norma Portuguesa com as regras específic...
0
Considerando as notícias divulgadas em meios de comunicação social, e por outras vias, relativamente...
0
A Direcção Geral da Empresa, elaborou um projecto-lei, no sentido de regular a actividade de Consult...
0
De acordo com o estipulado no n.º 1 alínea b) do Art.º 14.º dos Estatutos da ANESA – Associação Naci...
0

LEGISLAÇÃO

    A Lei 15/2018 de 27-3 estabelece que é permitida a permanência de animais de companhia em espa...
0
O DL 5/2018 de 2-2 define os critérios definidores do processo de receção e troca de garrafas utiliz...
0
  A Portaria 14/2018 de 11-1, introduz alterações na participação de acidentes de trabalho dos empr...
0
 Aprovado o Orçamento do Estado para 2018. Lei 114/2017 de 29-12.
0
  O DL 156/2017 de 28-12 fixa em 580 €, o valor da retribuição mínima mensal garantida (RMMG),...
0
O DL 152-D/2017 de 11-12 Unifica o regime da gestão de fluxos específicos de resíduos sujeitos ao pr...
0
O DL 152/2017 de 7-12 procede à segunda alteração ao DL 306/2007 de 27-8, alterado pelo DL 92/2010 d...
0
 A Lei 73/2017 de 16-8, visando o reforço da prevenção e do combate à prática de assédio, introduziu...
0

SEGURANÇA ALIMENTAR

Empresas do Sector Alimentar - OBRIGATORIEDADE DE IMPLEMENTAÇÂO DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA BASEAD...
1
Relativamente a questões colocadas sobre comercialização de moluscos bivalves:   Os moluscos bival...
0
ACÇÃO DE FORMAÇÃO FARO A ANESA promoveu a primeira acção de formação com sucesso assegurado, con...
0
HACCP em Micro/Pequenas Empresas O que a lei diz… Deve ser garantido um elevado nível de protecç...
0
 
 
 
JANELA ABERTA
FORMAÇÃO
ACTIVIDADES
APOIO JURÍDICO
CONTACTOS
NEWSLETTER
 
 
Todos os direitos reservados ANESA © 2018
Desenvolvimento: Tiago Caetano