• A ANESA tem como objectivos congregar, dinamizar, defender e representar as empresas do sector da Higiene e Segurança Alimentar, assim como participar, colaborar e contribuir para a regularização e coordenação da sua actividade.
 
 
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
  • ANESA
 
 
INÍCIO
IDENTIFICAÇÃO
ESTATUTOS
CÓDIGO DEONTOLÓGICO
ASSOCIADOS
ORGÃOS SOCIAIS
INSCRIÇÃO
ACESSO RESERVADO
 
 
 
PESQUISA
TRADUÇÃO AUTOMÁTICA
PUBLICIDADE
Boa tarde,   Um café fez um contrato com uma empresa prestadora de serviços, para dois anos. ...
A FNACC (Federação Nacional das Associações de Comerciantes de Carnes) divulgou o conteúdo prog...
PUBLICIDADE
Irá decorrer no dia 22 de junho no auditório do INIAV, na Quinta do Marquês, em Oeiras, um seminário sobre o Codex Alimentarius. A participação é grátis, requerendo, no entanto, inscrição obrigatória para o endereço codex@dgav.pt
PARCEIROS/PARCERIAS
LIGAÇÕES ÚTEIS
LICENCIAMENTO ZERO
BASE - Contratos Públicos
Portal da Empresa
DGAE
Portal do Consumidor
Autoridade da Concorrência
Autoridade do Trabalho
Ministério do Trabalho
Boletim do Trabalho
GEP
Ministério das Finanças
Ministério da Agricultura
DG VETERINARIA
Ministério da Economia
EFSA
ASAE
Portal do Governo
Eur Lex
Diário da República Electrónico
 

EDITORIAIS

EDITORIAL III

O Sector das Empresas de Consultoria em HSA

A Segurança Alimentar é um assunto sério. Para o infectado tanto faz o tipo de contaminação, seja ela por bactérias, vírus, parasitas ou zoonoses, pretende apenas conhecer motivos e responsabilidades. Por isso, a implementação de sistemas de segurança alimentar não depende da solidariedade, de cadeias restritas de divulgação ou de condicionamentos não especificados, depende e muito da comunicação, da competência, da gradualidade de eficácia e da fiscalidade.

Para a ANESA, a Segurança Alimentar não se reveste de uma oportunidade de mercado. A ANESA não presta serviços externos e os seus associados têm a vocação no mercado.

Para a ANESA, a Segurança Alimentar não é realidade a partir de 2006 e na exigência de um Regulamento CE.
A ANESA e os seus associados focalizam desde sempre a segurança alimentar ao abrigo de todos os dados que possam contribuir para a segurança dos alimentos.

Para a ANESA, a Segurança Alimentar não é um veículo de afirmação.
A ANESA e os seus associados promovem a Segurança Alimentar.

Para a ANESA e os seus associados, a Segurança Alimentar é uma questão de conceito e de missão, e principalmente, de vocação profissional específica.

Vem isto a propósito e por ordem de uma nova atitude colectiva, relacionada com a segurança dos alimentos, e por força de um Regulamento CE que veio despertar algumas entidades adormecidas sobre a matéria em questão, quando durante décadas se registam alertas de pessoas, individuais e colectivas, que não fazem outra coisa que não trabalhar sobre a questão.

Ao longo dos tempos, a Segurança Alimentar sempre fez parte da agenda de algumas entidades durante algum tempo, enquanto de outras sempre fez parte da agenda durante todo o tempo.

Nos últimos tempos, e em grande parte de seminários, encontros e sessões diversas, cuja temática se relacione com a segurança alimentar, o alvo crítico tem sido o serviço da empresa de consultoria em higiene e segurança alimentar (HSA), na sua generalidade.

Empresas estas pertencentes a um sector sujeito á crítica fácil, ligeira, circunstancial e generalista, sem consequências objectivas a não ser o prejuízo do bom nome de empresas de quem os detractores desconhecem o essencial, o seu historial, a sua capacidade e a importância pioneira e crucial. Ou seja, publicitar a desconfiança num mercado dependente das empresas criticadas.

Empresas estas que têm um papel determinante e de responsabilidade nos processos de implementação de actividades de segurança dos alimentos.

Empresas que exercem uma actividade de capital importância na divulgação, implementação, consultoria, assessoria, formação, investigação e desenvolvimento das actividades de controlo da qualidade alimentar.

Empresas que exercem uma actividade de elevada responsabilidade no sucesso da implementação de sistemas de segurança nos estabelecimentos de produção e comercialização de géneros alimentícios.

Empresas que exercem uma actividade de importância relevante na análise dos perigos, na avaliação dos riscos e na comunicação dos mesmos.

Empresas que têm um papel fundamental na divulgação da legislação, regulamentos, normativos e informação especializada em matéria da segurança dos alimentos.

Empresas que desempenham uma acção decisiva em matéria de formação específica das áreas alimentares.

Empresas estas que carregam o fardo de um sector sem regime ou regulamentos, onde qualquer pessoa, empresa ou entidade se assume com capacidade para exercer esta actividade. São as empresas de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, são as Associações empresariais e patronais, são empresas de comércio de produtos de limpeza, são empresas de comércio e distribuição de produtos alimentares, são laboratórios e outras, cuja vocação principal não é seguramente a segurança alimentar.

Por isto, parece haver falta de análise objectiva nas afirmações, que a ANESA tem de repudiar de forma veemente.

A ANESA, mais do que ninguém tem a consciência da realidade do mercado e não é por acaso que defende um plano de regularização e disciplina do sector.

Defende a necessidade base de organizar e defender o sector; Registar a sua importância na área alimentar; Criar condições de disciplina, reconhecimento e colaboração.

Defende que o sector precisa de um Regime de Actividade e de um Regulamento de Funcionamento, por forma a activar direitos, deveres e condições de procedimentos e, com isso, regulamentar e regularizar um sector que, pela sua importância, exige competência de funções.

Intenção esta, já manifestada à tutela e que aguarda desenvolvimentos.

Situação de exercício que favorece quem?

Aliás, a ANESA como organização colectiva tanto tem por obrigação promover uma actividade de reconhecida capacidade na divulgação, implementação, formação, investigação e desenvolvimento das actividades de controlo da qualidade alimentar, como tem o dever de defender aquela actividade criando mecanismos de qualificação para o exercício da mesma.

Factos estes desconhecidos pelas pessoas ou entidades que se referem às empresas de consultoria de forma, no mínimo, deselegante para não acrescentar outros adjectivos que aqueles não têm embaraço em utilizar.

Por tudo isto as empresas de consultoria em higiene e segurança alimentar merecem o respeito devido e não podem depender de acções mais ou menos irresponsáveis.

Em matéria de segurança alimentar este sector tem sempre uma palavra a dizer. Sempre.


Emídio Taylor
Presidente
26-01-2006
Partilhar
Existem 0 comentários
 

EDITORIAIS

  Já se encontra homologada e publicada a NP 4511 de 2012, Norma Portuguesa com as regras específic...
0
Considerando as notícias divulgadas em meios de comunicação social, e por outras vias, relativamente...
0
A Direcção Geral da Empresa, elaborou um projecto-lei, no sentido de regular a actividade de Consult...
0
De acordo com o estipulado no n.º 1 alínea b) do Art.º 14.º dos Estatutos da ANESA – Associação Naci...
0

LEGISLAÇÃO

    A Lei 15/2018 de 27-3 estabelece que é permitida a permanência de animais de companhia em espa...
0
O DL 5/2018 de 2-2 define os critérios definidores do processo de receção e troca de garrafas utiliz...
0
  A Portaria 14/2018 de 11-1, introduz alterações na participação de acidentes de trabalho dos empr...
0
 Aprovado o Orçamento do Estado para 2018. Lei 114/2017 de 29-12.
0
  O DL 156/2017 de 28-12 fixa em 580 €, o valor da retribuição mínima mensal garantida (RMMG),...
0
O DL 152-D/2017 de 11-12 Unifica o regime da gestão de fluxos específicos de resíduos sujeitos ao pr...
0
O DL 152/2017 de 7-12 procede à segunda alteração ao DL 306/2007 de 27-8, alterado pelo DL 92/2010 d...
0
 A Lei 73/2017 de 16-8, visando o reforço da prevenção e do combate à prática de assédio, introduziu...
0

SEGURANÇA ALIMENTAR

Empresas do Sector Alimentar - OBRIGATORIEDADE DE IMPLEMENTAÇÂO DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA BASEAD...
1
Relativamente a questões colocadas sobre comercialização de moluscos bivalves:   Os moluscos bival...
0
ACÇÃO DE FORMAÇÃO FARO A ANESA promoveu a primeira acção de formação com sucesso assegurado, con...
0
HACCP em Micro/Pequenas Empresas O que a lei diz… Deve ser garantido um elevado nível de protecç...
0
 
 
 
JANELA ABERTA
FORMAÇÃO
ACTIVIDADES
APOIO JURÍDICO
CONTACTOS
NEWSLETTER
 
 
Todos os direitos reservados ANESA © 2018
Desenvolvimento: Tiago Caetano